Confabulando Ilusões

O portal da alma, a voz do coração.

Sinfoni Amor

Ela não maldiz o amor. Não o amaldiçoa. Sofre e sofre por amor – sorrindo. Chora, mas não lamenta. Se pergunta o porquê de tantas lágrimas no seu rosto, mas não se arrepende.

A vida tem suas encruzilhadas, ela bem sabe. Tudo que começa, tem seu fim – ela bem entende e como entende.

Leia o resto desta entrada »

Anúncios
Deixe um comentário »

Amores irônicos

Todos os dias, ela parecia não sentir mais nada.

“Preciso deixar de amá-lo”, ela disse. “Tenho de desligar as emoções”, foi o que o cérebro interpretou, o que não foi tão difícil, já que o sofrimento era cada vez mais cruel e parecia brincar de matá-la aos poucos.

Não foi uma interpretação errada – foi um alívio.

Leia o resto desta entrada »

2 comentários »

Angústias matinais

O dia começa como qualquer outro: calor, brilho e cheio de sol. Mas algo está mudado. Está diferente. E ela sabe o que é.
Tristeza.

Leia o resto desta entrada »

1 Comentário »

Em nome de Var – II

As carícias eram intermináveis e eu desejava que fosse eterno. Pelo menos aquele momento, seria eterno. E depois, o modo como fazíamos parte um do outro, como ríamos juntos e como nos olhávamos… tudo era único e eterno. Nada mais me preocupava ou me importava. Eu me realizei mulher. Era minha e era dele. Ah… se eu soubesse o que estava por vir…

Leia o resto desta entrada »

5 comentários »

Em nome de Var

“Sempre que observamos o comportamento juvenil, paramos para filosofar “O que há em suas mentes?”. E quando estão apaixonados? O que os leva a tomar atitudes impensáveis: amor ou impulso? Ou os dois?

Nunca sabemos, a não ser aquele que já se apaixonou um dia…

Leia o resto desta entrada »

6 comentários »