Confabulando Ilusões

O portal da alma, a voz do coração.

Breaking the rules

em 22/01/2011

Já era de manhã e ele estava indo ao trabalho. Milhões de pessoas em uma avenida faziam o mesmo. Mas é dele essa história. Caminhava com passos largos. Não estava com pressa, não estava atrasado. Ele nunca chegava atrasado. Ele nunca errava. Fazia tudo tão certo que assustava.

Seu trabalho era impecável, suas roupas e seus estudos… tudo impecável. Parecia um robôzinho! Controlava a própria vida, como um capitão controla o soldado. Ele era capitão de si mesmo, não porque mandava em si, mas porque obedecia as regras e ordens superiores feito um cachorrinho ao dono.

Era bonito, ele bem sabia. Seus cabelos ondulados e negros contrastavam a pele branca, os lábios vermelhos e os olhos de menino.  Tinha um sorriso belo, apesar de parecer falso todas as vezes. Escondia do mundo quem era, por medo de nunca mais ser o mesmo. Tão simples e tão belo… não chamaria atenção de todos, era sutil. Sabia impressionar e chamar atenção de quem quisesse. Tão manipulador, mesmo sem querer, mesmo sem maldade. E tão belo…

Ele sabia de seu charme. E queria controlar seu encanto no mundo exterior ao dele. Sempre em controle, sempre cheio de regras… nunca livre… sempre obedecendo a protocolos.

Para ser feliz, é preciso ter coragem para arriscar e quebrar protocolos.

Da outra ponta da avenida, havia uma garota, tão sistemática quanto, mas diferente de nosso robô, não se importava em quebrar regras. Dizia ela que a felicidade não seguiria e não surgiria em protocolos. Ela gostava de se planejar e ria gostosamente em dizer que não tinha disciplina para seguir suas próprias ordens. Ela era um animal silvestre. E gostava de ser livre.

Era mulher e se entregava menina. Ele era menino e se um dia se entregasse, se entregaria homem. Ela ria quando precisava chorar e fazia os dois quando tinha que rir. Era bela, sabia que seduzia, tinha isso a seu favor. Os lábios carnudos e vermelhos chamavam atenção junto com os olhos profundos e expressivos. De corpo magro, embora com curvas instigantes, era desafiadora. Andava, mas parecia dançar.

Ela seguia em direção contrária. Ele seguia em direção às suas regras. Passaram entre si. Os olhos se encontraram. Os lábios sorriram timidamente. Mas ele seguiu em direção às suas regras. E ela entristeceu-se. Tinha visto nele uma nova esperança do amor. Seguiram. Ele parou de andar. Pela primeira vez em muito tempo, pensou em ter alguém a seu lado. E poderia ser aquela moça. Porque não? Finalmente, ele dá meia volta. Procurou a moça em meio ao desespero. Não a via mais. Quando achou que deveria retomar seu caminho, ele a encontrou, andando tranquilamente a dança que seus quadris faziam com maestria. Marcaram de se encontrar.

Agora ele se sentia diferente. E ela, voltava a ser radiante. Ela sabe que mesmo um animal silvestre quer ter para onde voltar.  E ele aprendeu que para ser feliz, é preciso ter coragem para arriscar e quebrar protocolos.

Anúncios

7 respostas para “Breaking the rules

  1. Bruriel disse:

    L, continua linda e maravilhosa como sempre 😉
    encontrei muitas semelhanças aqui, mais não preciso comenta-las.
    muito bom, gostei da leitura, imagino que vc tenha escrito dps de chegar da Zona q fizemos na casa da Pok, escreva sobre ela 🙂 .
    Bem, me desculpe não poder comentar muito mais, vc pode imaginar como eu estou zuado ainda ;D

    te adoro.

    bjsmeliga.

  2. L disse:

    Óh Mestre do RPG! Hahaha!
    Muito obrigada pelo carinho e pela gentileza! Não, não há necessidade, pois bem sabemos delas! Hahaha!
    Na verdade, eu escrevi este conto tem alguns dias. Foi nesta semana, ainda, mas guardei para ir postando sempre uma vez por dia, assim tenho sempre conteúdo atualizado.
    Vou escrever sobre a nossa visita na casa da Pok, com todo o prazer!

    Adoro-te igualmente.

    beijosmetwitta.

  3. Jessica disse:

    Adorei!
    É, encontrei também algumas semelhanças aqui, você até deve saber rs. Você é linda até no que escreve.
    Adoro você!

    beijos.

  4. Aa disse:

    Law, vc sabe MESMO escrever o_o’
    Não que eu duvidasse do seu talento, claro, mas estou mesmo impressionado; não conhecia esse seu lado.
    Agora fiquei animado pra conversar contigo sobre seus contos, rs.
    Continue escrevendo, lindinha… bjo!

    • L disse:

      Hahaha, uau!
      Eu que estou impressionada agora! Você, sendo professor e pedagogo, com toda a certeza leu muitos contos interessantes e muito bem escritos! E está elogiando um dos meus, muito obrigada!
      Me sinto honrada, mesmo.
      Continuarei escrevendo, pode ter certeza e agora, muito mais motivada!
      Beijos meu queridíssimo!

  5. Joker. disse:

    Uaaal Jess!
    Voce escreve muito bem!

    Intrigante esse seu conto, fico imaginando algumas coisas.
    Formulando outras.

    Continue me surpreendendo garota. 😀
    Beijao!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: